terça-feira, 23 de junho de 2009

RIBEIRA - 313

LOUISE BROOKS

Mary Louise Brooks nasceu a 14 de novembro de 1906. Foi uma americana dançarina, modelo, figurante e atriz do cinema mudo, famosa pelos seus pioneiros cortes de cabelo. Brooks é mais conhecida por sua caracteristica em três papeis, incluindo dois filmes de GW. Pabst: A Caixa de Pandora, (1929), Diário de uma Garota Perdida,(1929) e Prémio de Beauté (Miss Europa) (1930). Ela estrelou em dezessete filmes mudos e, mais tarde na vida ativa, escreveu um livro de memórias, Lulu em Hollywood.
Nascida em Cherryvale, Kansas, Louise Brooks era a filhade Leonard Porter Brooks, um advogado, normalmente muito bem sucedido com suas práticas para a disciplina de seus filhos, e uma mãe que artisticamente determinou que qualquer "squalling Brats" por ela produzido podia cuidarde si mesma.Myra Rude, mãe de Louise Brooks, era uma talentosa pianista que jogou as últimas obras de Debussy e Ravel para os seus filhos, inspirando-lhes o amor de livros e músicas. A sua filha Louise, sofreu abusos sexuais no bairro onde morava. Este fato teve grande influência na vida da carreira dos Brooks, causando na pequena Louise a incapacidade de um verdadeiro amor. Ela deposito no homem que lhe feriu uma chaga que "deve ter tido muito a ver com a sua atitude para poder desenvolver o prazer sexual"..."Para mim, bonito, macio, fácil os homens nunca foram o suficienteb- não tinha de ser um elemento de dominação". Quando Louise disse a mãe o incidente, muitos anos mais tarde, sua mãe sugeriu que o tal homem devia ser julgado pelo crime.
Louise começou sua carreira como bailarina moderna numa empresa onde tinham outras artistas, como Martha Graham, Ruth St Denis e Ted Shawn, em 1922, tendo ela 16 anos de idade. Em 1925 assinou contrato com Walter Wanger, na Paramount Pictures. Foi um contrato de cinco anos. Por esse tempo, Louise conheceu Charlie Chaplin com quem manteve um breve romance. Louise fez sua estreia no cinema mudo na fita "A Rua dos Homens Esquecidos", no ano de 1926. Logo. porém, ela estava jugando duro em uma série de comédias, estrelando com artistas famosos na sua época, como Adolphe Menjou, WC Fields entre outros. Por seus desempenhos, Louise Brooks foi notada na Europa e Howard Hawks a convidou para estrelar no seu novo filme "Uma Garota em Cada Porto", em 1928, em um filme mudo. Nesse mesmo ano, nos Estados Unidos era lançado o Filme "O Cantor de Jazz", com som.
O seu melhor papel no cinema americano surgiu em um dos primeiros filmes sonoros, o drama "Mendigos da Vida", de 1928, como uma menina abusada, com Richard Arlen e Wallace Beery. Grande parte deste filme foi filmado no local e o microfone teve que ser soerguido pelo diretor William Wellman, que precisava de uma das primeiras cenas experimentais faladas do filme.
Neste filme ela usou um bob que se tornou famoso e ainda é conhecido ainda hoje, já que muitas mulheres do mundo ocidental passaram a usar o mesmo modelo de cabelo. Após "Mendigos da Vida", Louise Brooks recusou a permanecer na Paramount após ter sido negado um aumento de seus vencimentos. Nessa época, ela partiu para a Europa para fazer filmes de GW Pabst, o grande diretor do expressionismo alemão. A Paramount tentou usar a vinda de filmes sonoros para a atriz, mas ela chamou o estudio de "blefe'.
Uma vez na Alemanha en 1929 ela estrelou filmes como "A Caixa de Pandora", dirigido por Georg Wilhelm Pabst. O filme é baseado em duas histórias e Louise reproduz a figura central Lulu. Este filme é notório por sua franqueza sexual moderna com um tratamento de costumes, incluindo a primeira tela de retratar uma lésbica.. Em seguida, Louise Brooks estrelou nos controversos dramas sociais "Diário de uma Garota Perdida" (1929), também dirigido por Parbst, e "Prémio de Beauté" (1930), este último sendo filmado na França, e com uma famosa surpresa final. Todos estes filmes foram fortemente censurados, pois eles eram muito "adultos" e foi considerado no seu tempo por expor retratos de sua sexualidade, bem como a sua integração de sátira social.
Quando Louise Brooks retornou para Hollywood, em 1931, estrelou em dois filmes: "Dom de Deus" (1931) e "Advertise" (1931). Seus desempenhos nestes filmes, no entanto, foram amplamente ignorados e algumas outras ofertas de emprego foram próximas do informal, devido a sua "lista negra". Apesar disso, William Wellman, seu diretor em "Mendigos da Vida" ofereceu uma nova imágem femenina em "O Inimigo Público", estrelado por James Cagney. Mas Louise Brooks recusou o papel. Ela declarou a Wellman que detestava fazer fotos porque simplesmente odiava Hollywood. Para muitos estudiosos da carreira de Brooks, era o fim de sua carreira.
No dia 8 de agosto de 1985 Louise Brooks foi encontrada morta vítima de um ataque cardíacoEla foi enterrada no cemitério Santo Sepulcro, em Rochester, Nova York.

Um comentário:

ANTÍNOO disse...

E ainda teve uma homenagem que a cacharel, francensa fez colocando o nome em um perfume opalino azul com tampa vinho o nome: LouLou. '' apelido de sua personagem no filme pandora box.