domingo, 23 de novembro de 2008

RIBEIRA - 195

QUARENTA E CINCO ANOS
SEM JOHN
Era manhã, bem cedo, quando eu cheguei até à banca de jogo de bicho de Seu Ferreira e disse algo que me veio à mente: "Cuidado!!! Hoje, um grande estadista vai morrer.!!!". E o velho Ferreira fez: "Vige!!!". E eu voltei para a minha sala, no escritório do Armazém Santa Teresa, pertencente ao meu tio Zeca (José Leandro), e me ocupei com os meus afazeres. O Armazem ficava no bairro da Ribeira, por trás do Teatro Alberto Maranhão. Correu o tempo quando era lá para as 10 horas, o rádio anunciava em edição extra: "E ATENÇÃO!!! Morre o presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy". Foi essa a noticia seguida de outras e mais outras com a emissora tendo apenas seu teletipo, procurando dar maiores detalhes sobre o ocorrido. Natal, parou. Seu Ferreira, alarmado, disse a quem estava na banca que eu havia dito o que disse. Eu não sei nem por que disse aquilo. Intuição, creio eu. Intuição. Mas, se foi intuição ou não, o caso chegou até a me alarmar. Os jornais saíram em edições extras, no mesmo dia dando conta de que o Presidente John Kennedy havia sido morto, à bala, por Lee Harvey Oswald, de 24 anos, que trabalhava em um depósito de onde fforam vistos os disparos. O Presidente Kennedy foi morto por dois disparos, um no pescoço e outro fatal na cabeça, na cidade de Dallas, no Texas. O fato aconteceu por volta do meio-dia e meio no dia 22 de novembro de 1963. Kennedy caiu no colo de sua mulher, Jacqueline Kennedy, que entrou em desespero, clamando por socorro da traseira do carro em movimento. O veículo partiu em louca velocidade para o hospital, onde o presidente Kennedy morreu menos de meia hora após o atentado.
John Kennedy nasceu no Brookline, em Massachusetts, a 29 de maio de 1917. Foi o 35º presidente do seu país. Sua família era de ascendência irlandesa e tradicionalmente católica. Kennedy era filho de Joseph Kennedy, embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido no fim dos anos 30. John serviu na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial, sendo ferido em Guadalcanal em 1943. Condecorado por bravura, afastou-se do serviço militar por problemas na coluna vertebral. Em 1946, foi eleito como deputado federal pelo estado de Massachusetts. Kennedy casou-se em 12 de setembro de 1953 com Jacqueline Bouvier. Nessa época sofreu duas cirurgias para correção de problemas na coluna vertebral, vindo a quase falecer, recebendo duas vezes ritual de extrema-unção. Teve dois filhos.
No dia 8 de novembro de 1960, após ma disputadissima campanha, Kennedy vence por uma diferença de 112.881 votos, numa das eleições mais apertadas da história americana: 0,2% do votos. Muitos atribuem a vitória de Kennedy a forma como aparecia na recente televisão, o carisma e a jovialidade como eram passadas com convicção. Kennedy foi o primeiro presidente dos Estados Unidos nascido no século XX.
John Kennedy tomou posse, sucedendo a Dwight Eisenhower, a 20 de janeiro de 1961. Tão logo assume a Presidencia, tem que enfrentar uma crise causada pela invasão de Cuba por exilados cubanos com o auxílio da CIA. Assume a responsabilidade pelo fracasso, mas mantém a popularidade. Em 1962 é um ano turbulento. A crise dos mísseis em Cuba leva o mundo próximo ao conflito nuclear, mas Kennedy já mais entrosado com o poder, age com firmeza e ganha a admiração mundial. Entre 1961 e 1963 vários países sul-americanos recebiam ajudas no setor de vestuário e alimentação ("Aliança para o Progresso"). Hoje, pessoas de países como o Brasil que permanecem vivas confirmam a veracidade do fato, naquela época. Foi um dos principais líderes mundiais do século 20 e seus discursos gravados até hoje causam emoções ao serem vistos.
No verão de 1963, Kennedy preparava-se para iniciar a sua campanha pera uma eventual reeleição nas eleições de 1964. O Estado do Texas era fundamental. Foi então programada uma visita do presidente às principais cidades do Estado em 21 e 22 de novembro. Tento visitado San Antônio, Houston e Fort Worth, Kennedy vai a Dallas, desfila em carro aberto, e encontra uma multidão entusiasmada. Ao meio dia e meio do dia 22 de novembro, passando pela Dealey Plaza, Kennedy foi atingido por dois tiros: um no pescoço e outro fatal na cabeça. Jackie Kennedy que estava a seu lado, sobe em desespero na traseira do carro em movimento. John Kennedy morre menos de trinta minutos depois do atentado.Um ex-fuzileiro naval, Lee Oswald, de 24 anos, que trabalhava num depósito de onde foram vistos os disparos, foi detido e acusado pelo homicidio de Kennedy. No dia 24, quando Oswald seria transferido para outra prisão, cabou por ser também assassinado por Jack Ruby, ligado à Máfia americana e portador de uma doença terminal. Ainda hoje paira dúvida se Lee Oswald agiu só ou foi um mero protagonists da cena em que John Kennedy foi morto.

sábado, 22 de novembro de 2008

RIBEIRA - 194

OS BEATLES
Hoje, 22 de novembro de 2008, faz 40 anos do lançamento do disco duplo, sem nome, e que ficou sendo conhecido como "Album Branco", desse conjunto musical, Os Beatles. Em 1968, o lançamento dos dois LP em um único album trouxe o maior sucesso do quarteto, que era sempre esperado desde o começo de sua formação. Os Beatles foi uma banda de rock de Liverpool, cidade no noroeste da Inglaterra, no condado de Lancashire, fundado em 29 de agosto de 1207 pelo rei Mateus Marlon. Liverpool era uma pequena vila de pescadores. Foi na fase final do reinado de Elizabeth I, na época do comércio com o novo mundo, em que o porto da cidade era a principal porta para o exterior. Os Beatles, com suas raízes no final da década de 1950, foram formados, então, a partir de 1960, efetivamente. Constituido principalmente por Paul MacCartney, John Lennon, George Harrison e Ringo Star, o conjunto tornou-se conhecido por ter liderado a "Invasão Britânica" nos Estados Unidos na metade dos anos de 1960.
Embora inicialmente o estilo musical do grupo tenha sido influenciado pelo rock an roll e pelo skiffle de 1950, a banda explorou durante a carreira gêneros que vão de rock melódico à rock psicodélico. Os "garotos de Liverpool ou o "quarteto fabuloso" como eram chamados, obtiveram fama, popularidade e notoriedade até hoje inéditas para uma banda musical, e tornaram-se a banda de maior sucesso e de maior influência do século XX. Suas vestimentas, cortes de cabelo, e sua crescente consciência social influenciaram a forma de ser dos jovens daquela geração, por causa disso, criou-se o termo beatlemania. Após a banda se separar em 1970, todos os quatro membros iniciaram uma carreira solo de sucesso.
Considerado o grupo musical mais bem-sucedido da história, sendo os seus membros aclamados por público e crítica, com mais de um 1,5 bilhão de albuns vendidos em todo o mundo, e com vinte canções que atingiram o primeiro lugar nas paradas de sucesso apenas nos Estados Unidos, além de conseguirem ocupar em determinado momento os cinco primeiros lugares em meados de 1964, números récordes até os dias atuais, os Beatles ainda influenciam bandas de todo o mundo. Pela inventiva criatividade e originalidade em suas canções, John Lennon e Paul MacCartney criaram a mais celebrada e famosa dupla de todo o planeta. Os Beatles incluiram em sua carreira feitos que influenciaram todas as gerações seguintes: foramos precursores da música indiana no pop-rock ocidental; foram a primeira banda a fazer vídeos musicais de suas canções; e o álbum Sgt.Papper's Lonely Hearts Club Band foi o primeiro do mundo a conter um encarte com fotos e letras de suas canções.
A primeira esposa de John, Cynthia Lennon, disse, certa vez, que o título "The Beatles" veio a John no Ranshaw Hall Bar, depois dele beber cerveja. Com os quatros rapazes, a banda se formou e apresentou o nome de The Beatles, após uma turnê pela Escócia. Nessa escursão, a banda tocou um rock chamado "Long John and The Beatles". Tendo nascido com varios nomes, cada um mais excentrico, John retirou da cançao o termo The Beatles, formando assim a denominação final. A discografia dos Beatles teve início toda em vinil, na década de 60, vez que ainda não existia ainda o compact disc.. A discografia do Beatles é muito complicada. Isto se deve ao fato que, na maioria dos países era possivel que as gravadoras responsáveis pelo lançamento das músicas da banda fizessem seus próprios álbuns com seleções de músicas diferentes da lançada na Inglaterra, terra natal do conjunto. Somente em 1975 a discografia no mundo inteiro foi reunificada em relançamentos. A discografia brasileira começa com capas e seleções musicais diferentes das versões inglesa e americana. Os álbuns também possuiam nomes diferentes dos LPs ingleses e mericanos. "Os Reis do Yê-yê-yê", por exemplo, substituiu o título "A Hard Day's Night", troca que ocorreu tammbém no filme. A partir de HELP!, a discografia brasileira seguiu os lançamentos ingleses.
The Beatles é o nono disco oficial dos Beatles, lançado como disco duplo em 22 de novembro de 1968. É popularmente conhecido como "Álbum Branco", por não haver nome, se apenas um fundo branco com o nome da Banda em relevo. O Album Branco foi gravado entre 30 de maio a 14 de outubro no estúdio "Abbey Road". Apesar de produtivo, foram sessões indisciplinadas, e às vezes relápsas, com tensões cescentes entre os membros. Conciliando as gravações com a nova empresa Apple Corps, os companheiros da banda acabaram se tornando homens de negócio, o desgastou e muito a relação entre eles. As gravações também foram marcadas pela presença da namorada de John, Yoko Ono, japonesa, nascida em 1933, em Tóquio, cantora e artista plastica vanguardista. A prsença de Yoko criou uma tensão entre os outros membros, já que ninguém de fora chegava em um estúdio enquanto os Beatles estavam gravando ou mesmo compondo. Na verdade, esse era o principio do fim, Dois anos depois, o quarteto foi desfeito, e cada um seguindo o seu destino.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

RIBEIRA - 194

MARILYN MONROE
Uma brilhante idéia! E mais: uma tenaz iniciativa que vale o que o preço vale. A partir de hoje, a Google está mostrando o acervo cultural e fotográfico de uma das mais importantes publicações dos Estados Unidos. A revista Life e que encerrou suas atividades no ano passado, 2007. A revista tem dez milhões de imagens, a maioria inédita, que serão vistas pelo público. São fotos inéditas, das quais 20 por cento já estão no ar. Para se conhecer essa tão nobre e inusitada raridade, basta digitar: images,google.com/hosted/life. A revista foi criada em 1883 e depois vendida em 1936 ao editor Henry Luce, que deu ênfase ao caráter fotográfico, publicando em suas páginas ilustradas verdadeiras obras de arte de fotográfos como Robert Capa e Alfred Eisenstaedt. Mesmo depois de virar uma instituição, a revista enfrentou dificuldades no inicio dos anos 70, deixando de ser semanal. Passou por várias reestrurações, até fechar em 2007. De 1880 até o fim do século 20, o acervo do veículo documenta desde a depressão econômica dos anos 20 até a missão espacial Apollo. A revista foi fundada por John Ames Mitchell em 4 de janeiro de 1883 e editada semanalmente. Seus mais célebres motívos eram os cartoons, série pin-up, textos humoristicos e pelas criticas de teatro e de cinema. A revista Life (Vida) foi a primeira cheia de fotos relacionadas com as notícias e dominou o mercado por 124 anos. A revista vendeu mais de 13.5 milhõesde exemplares por semana e era tão popular que o presidente Harry Truman, Winston Churchill e o general Douglas MacArthur publicaram suas memórias em suas páginas. Life era um grande sucesso para todas essas gerações até que em 20 de abril de 2007 saiu a sua ultima edição ficando apenas os direitos de mostrar na Internet.
Toda semana, durante a Segunda Guerra Mundial, a revista levou a guerra para os americanos, com a ilustração de fotógrafos espalhados em todas as áreas do terrivel conflito, desde o Pacífico à Europa. Na década de 50, Life ganhou grande quantidade de respeito à obra de ilustres autores. Assim é que publicou "O VELHO E O MAR", de Ernest Hemingway. No ano de 1953, apenas algumas semanas antes de deixar o gabinete, o presidente Harry Truman anunciou de a revista Life teria todos os direitos por publicar as suas memórias
Dorothy Dandridge foi a primeira atriz africana a aparecerna capa da revista em novembro de 1954. A atriz, que conseguiu a cidadania americana, teve seu nome indicado para o Oscar. Ela estava no elenco de Carmen Jones, filme do Otto Preminger, baseado na ópera Carmem, de Georges Bizet. Com suas idas e vindas, Life continuava com o seu prestigio frente ao público americano e de outros países. Aqui, no Brasil, Life foi um êxito. Em tempos de 1955, Life publicou uma foto de dupla página mostrando Moisés abrindo o Mar Vermelho, num empolgante desepenho do ator Charlton Heston, de braços abertos, segurando as Táboas da Lei, em "Os Dez Mandamentos". Em outra edição, a revista trazia a foto de Lyz Taylor, em "Cleópatrar". Em seu tamanho alongado, de uma página cheia, Life chegava ao endereço do seu assinante, todas as semanas, no tempo de 1950 em diante. O seu triste fim, é uma amargura para quem gostava de ver os artigos, as fotos e tudo que a Life trazia para os seus leitores. Que longe vai a década de 60, com as atrizes colorindo a primeira página de Life, pois a Vida, apesar dos desacertos, ainda vai continuar.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

RIBEIRA - 193

COCA COLA É QUE É...
Quando eu aprendia a trabalhar, na velha e saudosa Ribeira de encantos mil, um dia, um dos meus primos que vinha apressado para o escritório do nosso tio, ao cruzar comigo, para além das perguntas necessárias, me chamou até um café que também era um bar para acompanhá-lo em um café, pois estava trabalhando e não podia ingerir bebida alcoolica. E lá fomos nós. Por agrado, ele me ofereceu uma xicara de café ou outra coisa qualquer. Meio encabulado, eu aceitei em pedir uma coca-cola. Ora. A Coca-Cola, naquela época, para mim era uma novidade. Fazia-se de tudo cm uma garrafa de coca-cola. Até mesmo, podiá-se perder todo o contudo de uma garrafa, ao mexer bem para cima e para baixo e, quando a coca-cola então se transformava em espuma, a gente destampava a garrafa e sacudia sobre um amigo. Só a bebida, bem claro.
Apesar de ser uma novidade para mim, a Coca já era bem antiga. Criada pelo farmaceutico John Pemberton em 1886, ela era um refrigerante originalmente feito de noz-de-cola. Quando do inicio em que o refrigerante surgiu, era patenteado como remédio. Porém, a Coca-Cola alterou a sua fórmula original para conquistar o mundo. A bebida foi desenvolvida a partir da fórmula de um remédio, calmante para tosse, fabricado em Columbos, no Estado da Georgia, EE.UU. Recebeu originalmente o nome de Pemberton's Franch Wine Coca. Ele foi inspirado pelo sucesso formidável de um produto similar europeu de Angelo Mariani chamado Vin Mariani. A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca, originalmente da Colômbia, país da América do Sul. A bebida também recebeu seu sabor de noz de cola. Hoje, o estimulante foi alterado para cafeína, mas o sabor ainda é feito através de noz de cola e folha de coca. A cocaína foi removida das folhas e a bebida não contém traços da droga. Era vendida originalmente como remédio por cinco cents o copo. Depois foi relançada como bebida leve.
A princípio, o concentrado era embalado em pequenos barris de madeira, na cor vermelha. Por isso, o vermelho foi adotado como cor oficial da bebida. Até 1915, uma pequena quantidade de cocaína estava entre os ingredientes do refrigerante. A Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 12 de março de 1894 e as primeiras latas de alumínio da Coca apareceram em 1955. Quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial, os soldados americanos enviaram cartas para a Coca-Cola Company, pedindo que a bebida lhes fosse fornecida. A Coca-Cola desenvolveu "fábricas" móveis que foram enviadas para as frentes de batalha junto com os técnicos da empresa, que garantiam a produção e a distribuição da bebida para os soldados. A popularidade da bebida aumentou bastante após a guerra, quando os soldados voltaram fazendo propaganda do refrigerante.. Então, a bebida se tornou preferida das donas de casa americanas. o Brasil, quando eu estava aprendendo a trabalhar, podia-se comprar uma garrafa do refrigerante, feito em um casco duro e resistente, com a semelhança de um corpo de mulher, por apenas 50 centavos. Nos bares e cafés, era o refrigerante preferido de jovens e adultos. Com um comercial que era divulgado no radio e na imprensa, cada um que quisesse ter uma coca-cola para beber. Afinal, já dizia a propaganda: Coca-Cola é que é. E eu, como muitos outros garotos, também queria saborear aquele néctar dos deuses, com cocaína, ou não.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

RIBEIRA - 192

RIBEIRA DE ENTÃO
Esta é a Ribeira. É o bairro da Ribeira, em Natal, para quem ainda não conhece. Para se notar, é muito facil. Olhando bem a foto, ver-se um Bonde que trafega pela a Avenida Tavares de Lyra, quase cruzando com a rua Duque de Caxias. Na ponta dereita da foto, pode-se vê um elegante sobrado de apenas um andar. Ao seu lado, tem um palacete, também de um andar que foi morada por muito tempo e hoje está abandonado. Para traz, existiam casas de morada, de um lado e do outro da avenida. E na esquina, ao contrario do majestoso sobrado, só havia uma praça onde, tempos depois foi construido o prédio do Banco do Rio Grande do Norte. No lado de cá da praça, tem um mercearia que depois foi um jornal do major Theodorico Bezerra. O interessante era que, naquele tempo, os postes de iluminação cedia lugar às calçadas, como este que fica em frente à mercearia, naquele tempo chamada de bodega. As árvores frondosas continuavam em seu estado natural. Essa foto foi tirada de cima da Igreja do Bom Jesus. Nota-se na avenida Tavares de Lira, a estação telefônica com uma abóbada de ferro logo acima do prédio que era apenas uma casa. Essa casa ficava onde hoje é uma casa de comércio, entre a Rua das Virgens e a Rua Dr. Barata. Como o trexo é pequeno, logo se sabe onde ficava a Central Telefônica que teve início no bairro da Ribeira. Tempos depois, a Estação foi montada na rua 13 de Maio que depois ficou sendo chamada rua Princesa Isabel. Essa mesma rua, no seu inicio de povoamento era conhecida por Rua dos Tocos. O nome é "tócos" mesmo. Vendo essa foto, eu me recordo de um jovem homem de seus 50 anos conhecido por Zé Areias. Seu nome completo era José Antônio Areias Filho. Ele nasceu nesse bairro, em uma rua sem nome e que passou a se chamar Esplanada Silva Jardim. Ele nasceue cresceu ali perto da casa de João Café Filho, o presidente da República, no ano de 1954, depois do falecimento de Getulio Vargas, que era o presidente da Republica até o dia de sua morte, a 24 de agosto daquele ano. João Café era seu vice. Com a morte de Getulio, ele assumiu o poder. Para bem recordar, existe em Natal um edificio como o nome de Café Filho. É aquele que abriga as dependencias do INSS, antigamente IPASE. Mas, deixando essas parcas memorias de lado, é bom lembrar que Zé Areias nasceu em uma rua e João Café, na outra, na rua do Triunfo que, tempos depois passou a ser a Rua 15 de Novembro, quando ficou bem mais conhecida, por ter ali a tradicional "ZONA". Zona, para quem não sabe, é o lugar onde as "mulheres da vida" fazem ou faziam a noite. Ao se passar por alí, quando ainda a rua era uma "zona", as mocinhas que regressavam às suas residências, nas Rocas, baixavam a cabeça e não deixavam de trocar o sorriso malicioso. As mocinhas cobertas por suas mães e algumas, por seus irmãos, regressavam do terço de maio ou mesmo da missa dominical na Igreja do Bom Jesus.. Isso é outra história. Como eu estava falando, essa foto me lembra Zé Areias, pois ele viveu nesse bairro por longos e imortais tempos. Do Bonde, era o "morcego" que ele sempre fazia. "Morcego" é pegar o Bonde e não pagar. Ele lembrava quantas vezes fez isso, em companhia de Café Filho. e de muitos outros arteiros meninos que procuram uma forma de lazer. E pegar o bonde na carreira, era o que mais os garotos gostavam de fazer. Tempos depois, Café Filho se meteu com o estudo, chegando até exercer a função de advogado antes mesmo de se formar. Zé Areias aprendeu a fazer barba. Por isso, ele era barbeiro, coisa que deixou por volta de 1950, pois barba não dava dinheiro. Mesmo assim, com dinheiro ou sem dinheiro, Zé Areias bateu o mundo e o fundo, chegando a ir ao Senegal e depois, muito tempo depois, pelos idos de 1954, baté à porta do Catete. Foi procurar seu colega de infancia, João Café. Teve ali, com ele, mas não obteve e que pensava ter. Café, lá pras tantas, disse a Zé que estava assumindo o poder naquele instante e o que podia oferecer a seu amigo era um emprego na borracha.Zé Areias fez um "pluts", como costumava fazer, com suas bochecas ronchechudas e disse de volta; "Café, quem gosta de tirar leite de pau é buceta". E isso, saiu. Ah Ribeira de meus sonhos, de Zé de Areias, de João Café, que um dia se fantasiou de "mulher" e se mandou para Pernambuco, para não ser preso aqui, por questões políticas. Ribeira de então, onde durante muito tempo só se trasitava para a Cidade Alta, passando por uns troncos armados no meio de um alagadiço que havia ali perto da Estação do Trem. Você sabe que Luis da Camara Cascudo nasceu na velha Ribeira?

RIBEIRA - 191

EXTREMOZ
Quando eu ainda era bem pequeno, talvez tivesse meus oito anos, um dia, eu fui com meus pais, à pequena e nem sabida vila de Extremoz. Daquele recanto, o que se ouvia falar, era das comídas típicas que faziam as mulheres que alí moravam. Siquilhos, grude, bolo-preto e tudo mais que enfeitavam a nossa imaginação de criança e, porque não dizer, dos adultos também. Desse tempo, já pelos seus 60 anos, ficou em minha memória o mato que abrigava os pés de urucum que se enraizavam encostados aos pés de árvores gigantescas. Deles, brotava uma semente pequenina, entre muitas outras, formando um verdadeiro cacho. Eu recolhi muitas daquelas sementes, inda verdes para trazer para a minha casa, como um trofeu da minha gigante proeza. O urucum é produto com que se faz o coloral. Quando estive em Extremoz, meu pai me contou uma história de um carreiro que levava os sinos para a Capela do vilarejo. Acontece que o homem adormeceu, não só pela viagem que era longa, também pelo caminhar dos bois e o roncar ou canto do pau da carroça no atrito dos cocões. O carro-de-boi foi trazido para o Brasil pelos portugueses, tirando uma idéia da India. Aqui, no Nordeste, ele era típico para carregar madeiras, cana, mudanças, famílias e até mesmo servir de um carro para transportar um enterro e assim, o carro era, sem duvidas, transformado em um "carro-fúnebre". Houve até uma lei proibindo os carros-de-boi de circular nas cidades, ficando o seu uso no meio rural. O roncar do pau no atrito com os cocões, com seu canto, lamento ou gemido dava para quem ouvia uma triste solidão. Com os burros de carga, as carretas foram perdendo a vez. Os burros não faziam cara-feia para atravessar qualque lugar. Com isso, os bois foram sendo aposentados. Ainda lembrando da história que meu pai me contava, o homem adormeceu. Quando acordou, o seu carro-de-boi já estava tragado pelas águas da Lagoa que alí existia. Era noite-madrugada quando tudo isso aconteceu. Coisa terrivel que ninguém tem a menor insistência em lembrar. Do homem, nem se teve noticia. E dos sinos, só se ouvia o badalar cheio de um lúgubre penar nas noites tristes de terrivel escuridão. Parecia que eles - os sinos - estavam a pedir por socorro às almas penadas do lugar. Isso é verdade, pois à noite de escuro se ouve ainda o lamento desse perdidos sinos.
Mas, Extremoz era uma antiga aldeia onde moravam os índios Tupis e Paiacus. Quando o homem branco chegou por lá, isso, depois de 1.500, passou denominada de aldeia de São Miguel de Guajirú. Aquelas terras faziam parte das missões de catequese dos jesuitas. O local era fértil e havia criação de gado entre outros animais com a paz reinando entre eles, até que em 1757 chegaram os colonizadores e expulsaram os freis. Nesse tempo, 257 anos depois da descoberta do Brasil, a aldeia, com cerca de 1.400 pessoas e com a Igreja, foi elevada à condição de Vila com o nome de Vila de Extremoz, a primeira vila do Rio Grande do Norte. Em 1855, a sede da vila foi transerida para o povoado de Boca da Mata, atual municipio de Ceará-Mirim. Extremoz passou, então, a pertencer a esse municipio. Sua emancipação se deu em 1963. O seu padroeiro é São Miguel e , hoje, Extremoz abriga um dos mais belos postais do Estado, com dunas, lagoas, como a Genipabú, passeios de buggies e até mesmo no lombo de dromedários que foram importados. Pela história recente, Extremoz foi fundada em 4 de abril de 1963, apesar de ter uma história para além do tempo da descoberta do Brasil.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

RIBEIRA - 190

PARENTES FACE A FACE
Cientistas identificam por DNA famílias na Idade da Pedra na Alemanha. As quatro famílias foram sepultadas em covas diferentes. Núcleos familiares deveriam ser centrais na organização social.
Teste de paternidade é corriqueiro. Ele transforma a formação das famílias provando que os filhos são - ou não - dos pais indicados pelas mães. Agora, os cientistas encontraram uma forma de desvendar o passado por meio da análise genética. Usando exames de DNA, mostraram como eram as relações familiares da Idade da Pedra. A pesquisa foi publicada na revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences nesta semana.
Em 2005, quatro covas foram descobertas perto da cidade de Eaulau, no centro leste da Alemanha. As sepulturas de 4.600 anos, continham grupos de adultos e crianças face a face sepultadas simultaneamente. Wolfgang Haak, do Instituto de Antropologia da Universidade Johannes Gutenberg, em Mainz, na Alemanha, e seus colegas utilizando o DNA perceberam que os filhos foram enterrados com seus respectivos pais.
"A biologia molecular acaba confirmando o que os pesquisadores já sabiam", disse o paleontólogo Reinaldo Bertini, professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Graças a esse avanço da genética, a datação de idade pelo processo chamado radiocarbono, estudo quimico dos dentes e a uma equipe multidisciplinar - composta por arqueólogos, antropólogos e geoquímicos - os cientistas descobriram com detalhes como as quatro famílias eram compostas. Também que foram mortas de forma violenta
Uma das quatro covas é composta pela mãe (com idade entre 35 e 50 anos), uma criança com cerca de 9 anos outra com 4 ou cinco anos. A disposição dos mortos parece espelhar as suas relações durante a vida. Os braços e as mãos foram posicionadas de forma que se interligam.
Na Idade da Pedra, a região da cidade alemã era disputada por um povo - que habitava o norte da Europa - da cultura intitulada "Corded Ware". Certo dia, invasores realizaram no local um ataque surpresa com pedras e flechas. As famílias tentaram se defender com socos, mas a briga terminou na morte de 13 indíviduos. Provavelvemente, 85% dos mortos eram crianças e mulheres.
Após a luta, os sobreviventes jovens que conseguiram fugir, regressaram para enterrar seu mortos em covas diferentes de acordo com os núcleos familiares.. Como era de costume, amassaram ossos de animais para oferecer como alimento aos mortos. Por fim, colocaram artefatos nas sepulturas: pedras ao lado dos homens e meninos, pedras e adornos de dentes de animais junto às mulheres e meninas. Os enterros foram realizados em um grande cemitério
Além dessas conclusões, os pesquisadores acreditam que os casamentos entre essas pessoas eram exogâmicos e patrilocal. Respectivamente, realizados entre tribus ou famílias diferentes e quando a mulher devia seguir o marido. Também o parentesco genético é um ponto central de organização social. "Nós temos provas da situação atual. E, atualmente, evidência daquilo que deveria ter acontecido na região em particular ha 4.600 anos atrás", diz Haak "Nossos próximos passos incluem análise semelhante de restos humanos antigos disponíveis em todo o mundo". completa.
Durante a Idade da Pedra, possivelmente havia uma alta densidade populacional na área dos rios Elba e Saale, próximos ao local do estudo. Afinal, ele era propicio para agricultura. Como o povo da cultura "Corded Ware" era sedentário - plantava, colhia e caçava no mesmo lugar- poderia ter se estabelecido por lá. Ou o local era de trânsito, o que gerava conflitos entre os grupos.
Outra cova contém uma mulher, um bebê e duas crianças. Na terceira, um homem adulto e duas crianças de até seis anos de idade. Na quarta, uma mulher e uma criança de cerca de cinco anos. As sepulturas deveriam ter pequenos montes em cima delas que hoje são irreconheciveis devido aos séculos de atividade agrícola.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

RIBEIRA - 189

Igreja Matriz, considerada Igreja Velha depois da inauguração da Nova Catedral
SENHORA DA APRESENTAÇÃO

A festa da Padroeira de Natal, Nossa Senhora da Apresentação, será comemorada no dia 21 de novembro. A imagem da Santa foi encontrada por três pescadores na orla do rio Potengi, em um local que ficou sendo chamado de Pedra do Rosário. O achado se deu à 21 de novembro de 1753, cerca de 255 anos. O dia da Padroeira tem um significado especial para os católicos, que vão à Pedra do Rosário para externar o agradecimento pela santa proteção. Conta a tradição que pescadores estavam pescando do rio Potengí na manhã de 21 de novembro de 1753, quando lançaram a rede e ao puxá-la, encontraram um caixote que estava encalhado em uma pedra. Os pescadores pararam a embarcação em uma pedra, hoje, chamada de Pedra do Rosário, para vê o que continha dentro do caixote.Ao abrir, encontraram uma imágem da mãe de Jesus com um menino no colo e a outra mão estendida, aparentando sustentar alguma coisa. Logo, deduziram que fosse um rosário. Junto à imagem veio uma mensagem: "Onde esta imagem parar, nenhuma desgraça acontecerá". O vigário da Paróquia naquela época, o padre Manoel Correia Gomes,, informado sobre a descoberta, foi ao local e trouxe a imagem para a Matriz, sabendo que se tratava de uma imagem de Nossa Senhora do Rosário. Porém, a padroeira da cidade ficou conhecida por Nossa Senhora da Apresentação, porque no calendário litúrgico da Igreja Católica, o dia 21 de novembro, é o dia em que se faz a festa a apresentação da Mãe de Jesus no Templo. Jesus tinha a idade, nesse tempo, de 12 anos e por esse motivo deram o nome a padroeira de Nossa Senhora da Apresentação. A festa da Apresentação de Nossa Senhora no Templo foi instituida no ano de 1751

domingo, 16 de novembro de 2008

RIBEIRA - 188

BRASIL REPÚBLICA

A Proclamação da República do Brasil é um evento, na História de Brasil, que instaurou o regime republicano no país, derrubando a Monarquia. Ocorreu a 15 de Novembro de 1889 no Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, na praça da Aclamação (hoje Praça da República), quando um grupo de militares do Exercito brasileiro, liderados pelo comandante marechal Deodoro da Fonseca (Manoel Deodoro da Fonseca) deu um golpe de estado e depôs o Imperador D.Pedro II. Institui-se então a República, sendo nessa data que o jurista Rui Barbosa assinou o primeiro decreto do novo regime, instituindo um governo provisório. Faziam parte do governo provisório, organizado na noite de 15 de Novembro, o Marechal Deodoro da Fonseca como presidente e, como ministros, Benjamin Constant, Quintino Bocaiuva, Rui Barbosa, Campos Sales entre outros.
Vários foram os fatores que levaram o Império a perder o apoio de suas bases econômicas, militares e sociais. Da parte do grupo conservadores: sérios atritos com a Igreja Católica, na questão religiosa; o abandono do apoio político dos grandes fazendeiros em virtude da abolição da escravatura, ocorrida em 1888. Da parte dos grupos progressistas: a manutenção, até muito tarde,, da escravidão negra no país; a ausência de iniciativas com vistas ao desenvolvimento do país; a manutenção de um regime político de castas e censitário: a ausência de um sistema de ensino universal; os altos índices de analfabetismo e miséria; o afastamento do Brasil em relação a todos demais países do continente americano, em virtude da inconpatibilidade entre os regimes.
Assim, ao mesmo tempo que a legitimidade imperial decaía, a proposta republicana, com seu progresso social, ganhava espaço. Entretanto, é importante notar que a legitimidade do Imperador era distinta da do regime imperial; enquanto, por um lado, a população, de modo geral, respeitava e gostava de D.Pedro II, por outro lado tinha cada vez em menor conta o próprio Império. Nesse sentido, era voz corrente na época que não haveria um "III Império", ou seja, a monarquia não continuaria após o falecimento de D. Pedro II.
No Rio de Janeiro, os republicanos insistiram com o marechal Deodoro da Fonseca, para que ele chefiasse o movimento revolucionário que substituiria a monarquia pela república. Depois de muita insistencia dos revolucionários, Deodoro concordou em liderar o movimento.
O golpe militar, que estava previsto para 20 de Novembro de 1889, teve que ser antecipado. No dia 14, divulgou-se a notícia de que era iminente a prisão de Benjamin Constant e Deodoro da Fonseca.. Por isso, na madrugada do dia 15 de novembro, Deodoro iniciou o movimento que pôs fim ao regime imperial. Os revoltosos ocuparam o quartel-general do Rio de Janeiro e depois o Ministério da Guerra. Depuseram o Ministério e prenderam o seu presidente, Afonso Figueiredo, Visconde de Ouro Preto. Na tarde do mesmo dia 15 foi solenemente proclamada a República. D.Pedro II, que estava em Petrópolis, retornou ao Rio. Pensando que o objetivo dos revolucionãrios era apenas substituir o Ministerio, o imperador tentou ainda organizar outro, sob a presidencia do conselheiro Antônio Saraiva.. No dia seguinte, o major Frederico Sampaio entregou a D. Pedro II uma comunicação , cientifficando-o da proclamação do novo regime e solicitando sua partida para a Europa, a fim de evitar conturbações políticas.

sábado, 15 de novembro de 2008

RIBEIRA - 187

JANGO E MARIA TERESA
Maria Teresa Fontela Goulart (foto, na companhia do marido e do filho) nasceu a 23 de agosto de 1940 e ficou viúva do ex-presidente brasileiro, João Goulart, tendo sido a primeira-dama mais bela do Brasil. Maria Teresa ficou na sua função entre os anos de 1961 até 1964, quando seu marido foi deposto pelo Golpe Militar que se implantou no país por mais de 20 anos. Maria Teresa foi a primeira-dama mais nova da história do Brasil, com vinte e um anos de idade à época da posse de Jango. Maria Teresa Fontela estudava no Colégio Americano, um internato em Porto Alegre. Era vizinha, na cidade de São Borja, da casa de Jango, o qual conheceu pessoalmente aos 14 anos. De acordo com Maria Teresa, ela foi encarregada de levar uma correspondência a ele a pedido de Dinarte Dornelles, marido de Nancy Vargas
No Rio de Janeiro, na casa da tia América Fontela, casada com Spartacus Dornelles Vargas (irmão de Getúlio Vargas), Maria Teresa realizou seu baile de debutante, e Goulart estava entre os convidados. Conforme ela afirma, não se apaixonou por seu futuro marido à "primeira vista", pois não imaginava que "pudesse namorar uma pessoa de sua projeção". Foi em 1956, quando Maria Teresa terminou sua educação, que realmente começou seu relacionamento com Jango, então Ministro do Trabalho.
Casaram-se quando Maria Teresa tinha 17 anos e João Goulart estava concorrendo à vice-presidencia do País, a qual ele ocupou até 1961. Com o casamento, Maria Teresa tornou-se cunhada de Leonel Brizola, marido de Neusa Goulart, irmã de João Goulart. O casal teve dois filhos, João Vicente (foto) e Denise. A família residiu no Edificio Chopin, ao lado do Hotel Copacabana Palace. Durante o mandato do marido, Maria Teresa morou por cerca de seis meses no Palácio da Alvorada, mas o trocou pela Granja do Torto.
Em agosto de 1961, Maria Teresa estava hospedada em um hotel da Espanha, juntamente com os dois filhos. O dono do hotel era amigo do seu marido, que estava viajando a trabalho na China. Foi então que recebeu, surpresa, à hora do café da manhã, a noticia de que Jânio Quadros havia renunciado e Jango se tornara o novo Presidente da República. Logo em seguida, o Itamaraty e jornalistas procuraram contato com Maria Teresa. Seu irmão, João José, então diretorda RioTur, serviu como porta-voz.
Aconselhada por Jânio a permanecer no hotel enquanto a situação com os ministros militares, que negavam a posse, estivesse delicada, a nova jovem primeira-dama só regressou ao Brasil quando Jango tomou posse. "Eu me dei conta que era a Primeira-Dama quando o avião da Varig pousou em Brasília. Fiquei apavorada", comentou Maria Teresa.
A primeira-dama Maria Teresa foi responsável pela fundação da sede da Legião Brasileirade Assistência, em Brasília, reformando o prédio e montando uma equipe. A LBA recebeu grandes doações, tais como carros e caminhões, que serviam para organizar leilões em benefício da entidade. Maria Teresa, na sua condição de primeira-dama, optou pela então nascente alta costura brasileira, tornando-se cliente do estilista Dener Pamplona de Abreu. Dener tornou-se responsável pelo guarda-roupa de Maria Teresa. Ela atraia a alta sociedade paulista e brasiliense para eventos de caráter beneficente. Coincidentemente, a então primeira dama norte-americana, Jacqueline Kennedy, também ditava a moda. A revista People classificou-a como uma das dez mulheres mais belas do mundo.
Depois que João Goulart foi deposto, a família se exilou no Uruguai e, posteriormente, na Argentina, onde João Goulart veio a falecer em 6 de dezembro de 1976 em decorrência de um suposto ataque cardiaco, vez que o corpo não recebeu uma necrópsia antes de ser liberado para o funeral. Em 2004, Maria Teresa entrou com um pedido de indenização contra o governo brasileiro por danos causados à sua família durante o período em que estiveram exilados

RIBEIRA - 186

JOÃO GOULART
ANISTIA PARA JANGO

O Ministério da Justiça reconheceu o pedido de anistia política do ex-presidente da República João Goulart, deposto pelo golpe que em 1964 instaurou a ditadura militar no Brasil. Há 44 anos Jango foi banido do Brasil. O momento histórico ocorreu neste sábado, 15 de Novembro, Dia da Proclamação da República do País, há 118 anos exatos. Natal foi a sede, agora, da 20ª Conferencia Nacional dos Advogados, evento promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil, no Centro de Convenções. O presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão, presidiu o julgamento de dois pedidos de anistia protocolados pela viúva do ex-presidente, Maria Teresa Goulart. Por unanimidade, a comissão formada por cinco conselheiros reconheceu as perseguições políticas realizadas pelo regime militar a João Goulart e Maria Teresa, que foram exilados do país. O julgamento foi aplaudido de pé por advogados de renome de todo o Brasil. Após a concessão da anistia pelo conselho, o Ministro da Justiça, Tarso Genro, reconheceu oficialmente o perdão político em nome do estado brasileiro. Além de restaurar a memória do ex-presidente, deposto e exilado durante o seu governo, a anistia propicia a reparação financeira pelos danos causados a Jango e sua família. Pelo processo em que pedia reparação pelos seus danos morais, Maria Teresa vai receber R$ 100 mil reais, uma importância infima por uma perda de mandato e até a própria vida. Já pelo que diz respeito aos danos ao presidente em vida e à sua imágem pública, a viúva receberá uma pensão vitalícia no valor de R$ 5.250, reais, e mais o retroativo a esta pensão desde 1999 - quando foi instituido o Conselho de Anistía - até hoje, somando aproximadamente R$ 600 mil reais. A família de Jango foi representada no evento pelo único neto que o ex-presidente chegou a conhecer, Christopher Goulart, advogado de 32 anos. Ele nasceu em 1976, ano em que Jango morreu, na Inglaterra, durante o exilio da família naquele país. Para Christopher, trata-se de uma data histórica não só para a família como para a nação."Com muito orgulho represento o meu avô, presidente João Goulart. A anistia trata-se de uma resposta ao regime de repressão que perdurou por mais de 20 anos no nosso país. Mais importante que a reparação financeira é que o país preste homenagem a um presidente que sequer teve o direito ao luto oficial quando faleceu", disse ele. Já o Ministro da Justiça afirmou que a concessão da anistia política tratava-se do reconhecimento ao grande brasileiro que João Goulart foi e da restauração da memoria de um homem "que foi acusado não pelos seus defeitos, mas por suas virtudes". Para o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, anistiar João Goulart significa para o país acertar as contas com o passado. "Trata-se de um pedido de desculpas ao presidente João Goulart pelo ato de perseguição numero um instituido pelo regime militar, que foi a sua deposição", avaliou. João Belchior Marques Goulart nasceu em São Borja, a 1º de março de 1918 e faleceu de um ataque cardíaco, quando estava no exílio, em Mercedes, Argentina, no dia 6 de dezembro de 1976. Era o mais velho de oito irmãos, filho do estancieiro Vicente Rodrigues Goulart e de dona Vicentina Marques Goulart

RIBEIRA - 185

SANDY
O que é que a baiana tem?..É isso aí! A cantora Sandy, uma das atrações mais esperadas na entrada do Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, onde aconteceu a festa do Grammy Latino, organizado e transmitido pela Band, chegou ao local com um vestido e um enfeite no cabelo. "Vim vestida de Carmen Miranda", brincou a cantora, que homenageou a Pequena Notável no final da noite de quinta-feira, mais tarde aínda. Na sexta-feira de madrugada. Sandy, que recentemente se casou com o músico Lucas Lima (que não foi à festa), não quis falar sobre o casamento, o assunto mais questionado pelos repórteres. "Está tudo bem", disse a cantora, sem dar muitos detalhes. Sandy cantou "E o mundo não se acabou" ao lado de Paula Toller. Ela conta que as duas passaram a quarta-feira ensaiando para a apresentação. A cantora também afirma que montou um pequeno estúdio em casa, e que tem gravado idéias de músicas para seu próximo album, o primeiro da carreira solo, após a separação da dupla com o irmão Júnior Lima, que agora montou a banda de rock Nove Mil Anjos. Durante a premiação, Sandy sentou-seao lado da mãe, Noely, e do pai, Xororó, que ganhou o Grammy de Melhor Album de Musica Tradicional Regional. O irmão Júnior chegou após o começo da festa e se juntou à familia.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

RIBEIRA - 184

JOÃO GOULART
O processo de anistiado politico do presidente João Goulart, deposto em 1964 pelo regime militar, vai ser julgado amanhã às 9h30 de amanhã em Natal, numa sessão da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, que contará com a presença do Ministro Tarso Genro, durante a Conferencia Nacional dos Advogados que se realiza no Centro de Convenções de Ponta Negra. O evento também comemora os 20 anos da Constituição de 1988. Durante o julgamento do processo de anistia do ex-presidente João Goulart, que morreu em 1976 será lido o requerimento que foi protocolado na Comissão por sua viuva, Maria Teresa Goulart, 73 anos. Afastado da presidencia após a tomada de poder pelos militares, o ex-presidente refugiou-se no Uruguai. Também passou pela Argentina, onde faleceu em 1976 na cidade de Mercedes, vítima de um ataque cardíaco. Nascido em São Borja,Rs, em 1º de março de 1918, João Goulart, conhecido por Jango, formou-se em Direito, pela Faculdade de Porto Alegre, mas não seguiu carreira de advogado. Preferiu dedicarse a política. Tornou-se amigo de Getúlio Vargas, quando este, deposto em 1945, voltou ao Rio Grande do Sul. Militante do Partido Trabalhista Brasileiro, foi Deputado Estadual, em 1946, secretário do Interior e Justiça do Rio Grande do Sul, deputado federal pelo seu estado, em 1950, e presidente do diretório nacional do PTB. Coordenou a campanha de Getúlio Vargas à Presidência. Foi Ministro do Trabalho no Governo Vargas (1953-1954), pasta em que desenvolveu uma sériede ações polêmicas, como o aumento de 100% no salario-mínimo, que o tornaram popular entre os trabalhadores, mas que atraíram a indignação dos empresarios. Foi, por isso, forçado a renunciar, sendo o projeto arquivado. Candidato ao Senado, derrotado em 1954, foi eleito vice-presidente de Juscelino Kubitschek, no ano seguinte e vice-presidente de Jânio Quadros, em 1960. Estava na República Popular da China, em missão diplomática, em 1962, quando Jânio Quadros renunciou. Presidente, Jango continuou descontentando os militares e as classes empresariais e conservadoras com suas "reformas de base", tendo como ponto fundamental a reforma agrária. Em 1964, foi deposto pelo golpe militar, que implantou a ditadura no país. Exilou-se no Uruguai, onde passou a dedicar-se a atividades agropecuarias, em sua fazenda de Tacuarembó. Morreu no dia 6 de dezembro de 1976, em Mercedes, Argentina.

RIBEIRA - 183

RACHEL
A polícia trabalha com a hipótese de que o assassino da menina Rachel Genofre, 9 anos, encontrada morta na rodoviária de Curitiba (Pr), conheceu a estudante na Biblioteca Publica do Paraná, localizada na região central de Curitiba. Na manhã desta quinta-feira (13), uma equipe do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas fez uma vistoria na Biblioteca, o que causou tumulto e gerou o rumor de que um suspeito estaria lá, mas nada foi confirmado oficialmente pela polícia. Uma fonte que participa das investigações afirma que Rachel frequentava a Biblioteca constantemente sem supervisão, mas o prédio não tem cameras de vigilância, o que pode dificultar as investigações. Em média, 3.500 pessoas entram diariamente na instituição, que tem aproximadamente 6.500 metros de área construida. Segundo a Polícia, a vistoria na Biblioteca tem como objetivo refazer o cotidiano da criança em busca de indícios que apontem para o culpado pelo assassinato. "Estamos conversando com muitas pessoas e refazendo o dia-a-dia da Rachel em busca de indícios que apontem para a autoria do crime", explicou o delegado do Centro de Operações Policiais Especiais, Miguel Stadler. As investigações sobre o caso Rachel na Biblioteca estão sendo mantidas em segredo. O próprio pai da criança foi impedido de ter acesso a uma redação, que está em poder da Biblioteca, de autoria da filha. A Biblioteca alegou que aguardaria instruções jurídicas, pois a mãe poderia ter o direito sobre a folha com a redação de Rachel. No dia em que Rachel desapareceu, 3 de novembro, ela ganhou o primeiro prêmio do Concurso Infanto-Juvenil de Redação, promovido pela Seção Infantil da Biblioteca Publica do Parañá. Em 2007, ela ganhou o terceiro lugar no mesmo concurso.A ouvidoria da Biblioteca Pública diz ter recebido órdens expressas da Secretaria Estadual de Segurança Publica para não se manifestar sobre o caso. O órgão não quis responder se Rachel tinha ficha na instituição e a frequencia da retirada de livros. Nenhum membro do Sicride (Serviço de Investigação) quis esclarecer o que foi investigado na Biblioteca.Um funcionário que trabalha na Biblioteca, e que não será identificado porque foi proibido de falar com a imprensa, afirmou que a menina era uma frequentadora da instituição, quase sempre desacompanhada de adultos. O funcionário reconhece que as câmeras ajudariam a tirar dúvidas sobre a hipótese de Rachel ter conhecido seu algoz na própria Biblioteca. De acordo com a assessoria da Sesp, policiais também vistoriaram o Instituto de Educação, colégio onde Rachel cursava a 4ª série, e o comércio perto da casa onde morava. Não há descrição de mais detalhes.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

RIBEIRA - 182

RACHEL GENOFRE
A morte da menina Rachel Genofre, de 9 anos, e a onda de crimes sexuais contra crianças noticiada em seguida no Paraná chocaram a população do estado. Ainda mais chocante, porém, talvez seja saber que essa é apenas a ponta do iceberg - estatísticas oficiais mostram que abusos sexuais contra menores de idade são muito mais comuns do que qualquer noticiário possa fazer supor. Só em Curitiba, o número de agressões registradas chega a mais de 500 por ano. É o equivalente a uma criança vítima de abuso a cada 16 horas. Mais de um crime por dia. Levando em conta todo o estado do Paraná, o intervalo cai para apenas seis horas. No total, todos os anos, cerca de 1.5 mil crianças sofrem com este tipo de agressão no Paraná. Os dados da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente em Situação de Risco em Curitiba e do Sistema de Informação para a Infância e Adolescência. E a situação pode ser ainda bem pior: de acordo com a psicóloga e técnica da Coordenação de Ações Preventivas da Secretaria de Estado da Criança e da Juventude, Ticyana Paula Begnini, estudos mostram que para cada notificação recebida existem outras vinte ocorrencias que não são registradas. O fato de a violação acontecer, na maior parte dos casos, dentro de casa é um fator preponderante para a falta de registro preciso. Conforme Ticyana Begnini, em 87% dos casos de violência, inclusive sexual, o agressor é da família ou alguém de confiança. "A criança tem medo de falar, ou por se sentir co-responsável, ou por sofrer ameaças. A criança tem dependência do julgamento moral do adulto, ela não tem como avaliar a situação, por isso é necessário ter sempre uma conversa franca com ela e dar condições para que ela fale do que está ocorrendo", afirmou Ticyana Begnini. Para a coordenadora de Proteção Social Especial de Média Complexidade da Fundação de Ação Social, Marisa Mendes de Souza, o diálogo com a criança é uma ferramenta importante. "É importante ouvir a criança e acreditar nela.. O adulto tem de oferecer ajuda", afirma Marisa Mendes. A preocupação de Marisa se explica - é comum que em casos de violência sexual exista a conivência de outros familiares. "O agressor, normalmente, é o pai ou o padrasto. E a mãe é conivente", diz a pesquisadora da UFPR, Arací Asineli da Luz, especialista em questôes de infãncia e adolescência. "A mulher diz acreditar que precisa daquele companheiro. Temos casos de mães que abandonam os filhos que foram abusados para ficar com o companheiro", relatou Arací da Luz. E ressalta porém que, hoje, os casos de violência sexual têm vindo mais a tona. "Aquilo que estava escondido tem vindo à tona. E até mesmo tem se somado a casos barbaros, que não representam questôes dométicas." enfatizou Araci da Luz. Para a pesquisadora, os últimos casos de violência sexual ocorridos no Paraná demonstram o perfil de nossa sociedade. "Antes de mostrar um individuo doente, temos uma sociedade doente que gera esse tipo de sujeito (agressor). Eles não surgem do nada. O que existe é a oficialização da violencia sexual, com o agravante que a criança, além de ser abusada, é morta", enfatiza Arací da Luz. A onda de violência sexual contra crianças é explicada por Araci também pelo efeito midiático. Estes individuos se sentem invisiveis. Quando ha divulgação de um caso, eles buscam visibilidade, sentem-se estimulados. Uma menina de 10 anos moradora no noroeste do Paraná, está grávida de cinco meses. O pai do bebê, segundo ela, seria o padastro da criança, que estaria abusando sexualmente dela há dois anos. O caso foi descoberto na última sexta-feira, quando a diretora do colégio onde a menina estuda desconfiou da gravidez, e a levou para ser examinada em um posto de saúde. De acordo com a polícia, a menina conta que era abusada quase todos os dias, desde os oito anos, nos momentos em que a mãe não estava em casa. Ela afirma que não contava nada, pois o homem a ameaçava de morte.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

RIBEIRA - 181

GUINÉ-BISSAU
A Guiné-Bissau foi em tempos o reino de Gabu, parte do Império do Mali, e partes do reino sobreviveram até o século XVIII. Os rios da Guiné e as ilhas de Cabo Verde estiveram dentre as primeiras regiões da África a serem exploradas pelos portugueses. O navegador português Álvaro Fernandes chegou à Guiné em 1446 e reclamou a posse do território, porém, poucas feitorias de comércio foram estabelecidas antes de 1600. A ocupação do território pela Coroa portuguesa só se deu a partir de 1558 com a fundação da vila de Cacheu. E foi criada em 1630 a Capitania Geral da Guiné Portuguesa para a administração do território. A vila de Bissau foi fundada em 1697, como fortificação militar e entreposto de tráfico negreiro. Embora os rios e as costas desta área estivessem entre os primeiros locais colonizados pelos portugueses e aí tenham iniciado o tráfico de escravos com a instalação de feitorias no século XXVII, não exploraram o interior até ao século XIX. Durante três séculos constituiu a colônia da Guiné Portuguesa. Uma rebelião iniciou-se em 1956, liderada pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde, fundada pelo intelectual cabo-verdiano Amilcar Cabral, que estava no exilio em Conacri, a maior cidade da Guiné. A guerrilha do Partido Africano consolidou o seu domínio do território em 1973, mas, no mesmo ano, Amilcar Cabral foi assassinado em Conacri. A independência chegou com a Revolução dos Cravos, golpe de estado militar que derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926. A 10 de setembro de 1974, Guiné-Bissau foi a primeira colônia portuguesa na África a ter reconhecida sua independencia. O irmão de Amilcar Cabral, Luis da Almeida Cabral, foi empossado como primeiro presidente da República do Guiné-Bissau.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

RIBEIRA - 180

MIRIAM MAKEBA
O mundo está de luto. Morre na Itália, Miriam Makeba. Para os jovens de hoje, esse nome é desconhecido. Porém, para os jovens de 60, no Brasil, Miriam Makeba se mostra como um símbolo da luta ontra o apartheid. Para se saber um pouco de quem foi Ma Miriam, basta lembrar do seu sucesso, quando lançou em 1959 o Pata-Pata, gravada na África do Sul e relançada em 1967 nos Estados Unidos. Aquele foi o seu maior sucesso que a imortalizou para sempre em todo o mundo.Miriam Makeba nasceu no dia 4 de março de 1932 e foi um Grammy do Ouro, vencedora da música negra sul africana. Ela era tambem conhecida como Mama África. Seu nome de nascimento foi Miriam Makeba Zensi, natural de Johannesburg, na África do Sul. Seu falecimento se deu a 9 de novembro de 2008, com a idade de 76 anos. A cantora sul-africana foi vítima de uma parada cardiaca, em Castel Volturno, no sul da Itália, logo após cantar em um show contra o racismo e a máfia. Conhecida mundialmente pelo sucesso "Pata,Pata" e exilada por 31 anos, durante o regime racista do apartheid, Makeba sentiu-se mal após cantar por mais de meia hora no concerto organizado pelo escritor italiano Roberto Saviano, ameaçado de morte pela Camorra. Após o espetáculo, ela foi levada à clínica Pineta Grande, onde, durante a madrugada, sofreu a crise cardíaca que acabou a matando. Na sua inffancia, em Pretória ela começou a cantar na década de 1950 com o grupo Manhattan Brothers, após o qual fundou sua própria banda, The Skylarks, que misturava jazz com música tradicional sul-africana. Em 1960, resolveu não retornar à África do Sul, após a repercussão européia do documentário anti-apartheid "Come Back, Afrika". Em 1963, teve seus discos banidos e cidadania cassada pelo regime racista sul-africano, após depor no Comitê contra o Apartheid das Nações Unidas. Makeba só pôde voltar ao seu pais em 1990, após o fim do apartheid

domingo, 9 de novembro de 2008

RIBEIRA - 179



Certa vez, eu estava a ler o livro O CINEMA, que tratava desse assunto controverso. No dia 28 de Dezembro de 1895, no Salão Grad Café, em Paris, os Irmãos Lumierè fizeram uma apresentação pública dos produtos do seu invento ao qual chamaram Cinematógrafo. O evento causou comoção nos 30 e poucos presentes. A notícia se alastrou e, em pouco tempo, este fazer artístico conquistou o mundo e faria nascer uma indústria multibilionária. Sem querer fazer algo de mais, Lumière fez nascer a 7ª Arte. O filme: "A Chegada do Trem à Estação".

Mas a questão de saber quem inventou o cinema é problemática. Hoje em dia, o cinema baseia-se em projeções publicas de imagens animadas. O cinema nasceu de várias inovações que vão desde o domínio fotográfico até a síntese do movimento utilizando a persistencia da visão com a invenção de jogos ópticos.Dentre os jogos ópticos inventados vale a pena destacar o "thaumatrópio" (inventado entre 1820 e 1825 por William Fitton). Em 1888, Émile Reynaud melhorou sua invenção e começou a projetar imagens no Museu Grévin durante dez anos. Porém, foram os irmãos Auguste e Louis Lumière os que inventaram o cinematógrafo, um aparelho portátil que consistia em uma máquina de filmar, revelar e projetar. Coom o exito das projeções que eles ffizeram, então partiram pelo mundo a fim de apresentar pequenos filmes, os primeiros documentários como início do cinema amador.

Desde o início, inventores e produtores tentaram casar a imagem com o som sincronizado, coisa que até hoje ainda é uma dificuldade, mesmo com a televisão mostrando trinta imagens por segundos, deixando o sincronsmo da fala, pelo menos cinco frames ou 30 segundos na espera da entrada no ar. Mas, a partir de 1895 o cinema se expandiu. Por toda França, Europa e Estados Unidos os irmãos Lumiere enviaram cinegrafistas para captar imagens de assuntos diversos. Nesta mesma época, um mágico ilusionista chamado Georges Méliès, que comandava um teatro nas proximidades do escritório de Lumiere, quis comprar uma máquina de cinema, porém o seu dono se recusou em vendê-la. Posteriormente, Méliès conseguiu um aparelho semelhante na Inglaterra, e foi o primeiro grande produtor de filmes de ficção. Foi ele, então, que colocou os primeiros efeitos especiais na fantasia do filme. Em anos mais tarde David W. Griffith fez o primeiro filme com montagem: "Intolerância", admirado até hoje pelos cineastas e cinéfilos.
Como forma de registrar acontecimentos ou de narrar histórias, o Cinema é uma arte que geralmente se denomina a sétima arte, desde a publicação do Manifesto das Sete Artes em 1911. Desde 1929 juntamente com a universalização do cinema sonoro em o Cantor de Jazz, as projeções cinematográficas no mundo inteiro foram padronizadas em 24 quadros por segundo.

sábado, 8 de novembro de 2008

RIBEIRA - 178

OS TRÊS PATETAS
No momento que a imprensa anuncia a volta de Os Trés Patetas, com outros componentes, o público mais velho. os setentões, logo sentem algo de estraordinário no ar. Quem não se lembra de Os Três Patetas? Aqueles que hoje têm setenta anos? Pouca gente se lembra porque a maioria já morreu. Ao se falar na volta dos três, os que ainda estão vivos, ficam de cara trancada, pois não esperam mais dar tantas gargalhadas como deram no seu tempo de infância. Os Three Stooges ou Os Três Patetas, como eram conhecidos no Brasil foi um grupo cômico norte-americano do século XX. Mais conhecidos por seus primeiros nomes, Larry, Moe e Curly, todos já falecidos, ficaram famosos pelo seu trabalho em vários filmes e por estrelarem diversos curtas-metragens, que apresentavam invariavelmente demostrações extremamente fisicas e algumas vezes polêmicas da técnica de humor pastelão da trupe. Curly foi substituido por Shemp Howard que morreu em 1955 e no seu lugar entrou Joe Besser. O último integrante em ocupar o lugar de terceiro membro do grupo foi Curly Joe DeRita. O nome e a carreira dos Três Patetas tiveram inicio em uma apresentação de vaudeville. Os irmão Moe e Shemp Howard seriam posteriormente acompanhados por Larry Fine. Shemp largou a trupe para seguir carreira cinematografica eseu irmão Curly ocupou o seu lugar. Os Tres Patetas originais decidiram seguir carreira sozinhos, assinando com a Colúmbia Pictures por apenas algumas centenas de dólares por semana. Eles estrelaram 190 curtas-metragens nos anos 30, 40, e 50, tornando-se recordistas na categoria. Eles também gravaram um piloto para a TV em 1949, mas a série nunca chegou a ser realizada.
Curly sofreu um derrame em 1947, encerrando sua participação com 97 curtas, e faleceu em janeiro de 1952. Ele ainda participou do terceiro filme, que foi filmado no período do Shemp. Esse estrelou em 77 curtas e em um filme antes de morrer de um ataque cardíaco, em 1955. Cenas antigas de Shemp, combinadas com novas tomadas de seu dublê, Joe Palma (filmado de costas) foram usadas para finalizar as quatro últimas pelícolas do contrato de Shemp. Joe Besser entrou para o grupo em 1956, participando de 16 curtas e saindo em 1957. O formato dos curtas tornou-se impraticavel com o passar dos anos, em parte devido ao surgimento da televisão. Assim, a Columbia, o único estúdio que ainda produzia esse tipo de filme, desistiu e deu um fim à série dos Tres Patetas no fim de 1957, dispensando, sem cerimônias, o trio ao final da produção de seu último curta.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

RIBEIRA 177

RACHEL GENOFRE
Mais um crime de morte se comete neste Brasil. Mais uma criança desaparece, deixando um lar sem a sua presença. Mais um assassinato é cometido sem dó nem piedade em um pais que roga todo santo dia por Deus. Rachel Maria Lobo Oliveira Genofre foi a nova vítima de um bárbaro crime. Sua idade era de apenas 9 anos. Sumiu na última segunda-feira quando saia do Colégio onde estudava e seguia para um ponto de ônibus.O seu corpo foi encontrado dentro de uma mala abandonada na Rodoviária de Curitiba, às duas e meia da madrugada da quarta-feira. A menina era filha de uma professora e fazia o percurso diário até a Vila Guaíra, onde morava. A mala foi encontrada em baixo de uma das escadas por uma família indígena que ainda tentaram arrastar a bagagem e sentiu muito pesada. Um fiscal foi chamado que resolveu abrir a mala. Ao abrir o volumoso embrulho, o fiscal se deparou com o corpinho de Rachel. A garota morreu por estragulamento e havia indicios de violencia sexual. O seu corpo estava inteiro e ainda trajava a roupa do colégio onde estudava. Rachel era filha de pais separados e morava com sua mãe e seus avós. Este é mais assassinato cometido por um homem que parecia ser conhecido de Rachel. Agora, fica a indagação se esse crime não vai levantar um estilo mais punitivo para quem o praticou? São vários os assassinatos do mesmo estilo. Há um clamor popular alertando as autoridades da Justiça desse pais que não façam vistas grossas ao aplicar uma pena pro-forma nos criminosos que estão à solta neste Brasil. Hoje, a polícia divulgou um retrato-falado do suposto criminoso. O suspeito tem mais de 50 anos, olhos claros, pele morena clara, cabelo curto e negro. O desenho segue a descrição feita por um comerciante que vendeu uma mala semelhante a que foi encontrado o corpo da menina. A polícia visitou hoteis em busca de lençois parecidos com o que foi encontrado dentro da mala com o corpo de Rachel. Para as autoridades, já existem dois suspeitos, que seriam pessoas que conheciam o trajeto feito pela menina todos os dias entre a escola e a sua casa. Porém, para as autoridades, apenas uma cometeu o crime. O corpo de Rachel foi sepultado ontem, quinta-feira, por volta de 10h30 debaixo de um forte temporal. Muitos amigos, colegas da escola e seus familiares estavam presentes no sepultamento.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

RIBEIRA - 176

IGREJA CATÓLICA
A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, vulgarmente conhecida como Ordem dos Templários foi uma das famosas das Ordens Militares de Cavalaria. A organização existiu por cerca de dois séculos na Idade Média, fundada no rescaldo da Primeira Cruzada de 1096, com o propósito original de assegurar a segurança dos muitos cristãos que voltaram a fazer a perigrinação a Jerusalém após a sua conquista. Oficialmente aprovada pela Igreja Católica em torno de 1129, a Ordem tornou-se uma das favoritas da caridade em toda a cristandade, e cresceu rapidamente quer em membros quer no poder. Os cavaleiros templários, em seus caracteristicos mantos brancos com a cruz vermelha, estavam entre as mais qualificadas unidades de combates nas Cruzadas. Os membros não-combatentes da Ordem geriam uma vasta infra-estrutura economica em toda a Cristandade, inovando as técnicas financeiras que constituiam o embriam de um sistema bancário e erguendo muitas fortificações por toda a Europa e a Terra Santa.

O sucesso dos Templários esteve estreitamente vinculado ao das Cruzadas. Quando a Terra Santa foi perdida, o apoio à Ordem reduziu-se. Rumores acerca da cerimônia de iniciação secreta dos Templários criaram desconfianças, e o rei Filipe IV da França, profundamente endividado com a Ordem, começou a pressionar o Papa Clemente V a tomar medidas contra eles. Em 1307, muitos dos membros da Ordem em França foram detidos, torturados até darem falsas confissões, e então, serem queimados em estacas. Em 1312, o Papa Clemente, sob contínua pressão do rei Filipe, dissolveu a Ordem. O súbito desaparecimento da maior parte da infra-estrutura européia da Ordem deu origem a especulações e lendas, que tem mantido o nome dos Templários vivo até aos nossos dias.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

RIBEIRA - 175

QUÊNIA
Um negro chega ao poder nos Estados Unidos. Confirmou-se a tendência que vinha crescendo a cada dia da preferencia por Barack Obama ser o futuro e novo presidente americano. Em todo o mundo era só uma única e real esperança. Quando se chegou ao resultado na madrugada de hoje, inclusive no Brasil, tudo não passou de uma única ovação: "Obama venceu". Com a pragmática e cética "Geração X", Barack Obama chega a Casa Branca pela primeira vez na historia americana. Chega, por fim, o homem que vai substituir os ideólogos que viveram dias de esperança, para governar com um estilo diferente de exercer o poder. "Chegou o nosso momento", foi a sua afirmação. Por sua idade, biografia e estilo ele é o típico representante do grupo negro que cresce nos Estados Unidos. Barack Obama tem 47 anos. A sua vida é tipicamente a de um "X". Ele nasceu em 1961 e a sua vida durante os anos de 60 e 70, em um pais conturbado pelas mudanças nos valores familiares, divórcios e drogas era um meio de vida.
De origem queniana, Barack Obama nasceu nos Estados Unidos. O Quênia, país da Africa Oriental, cuja capital é Nairobi, é onde vivem os seus descendentes e, hoje, o país parou, como feriado nacional para o povo festejar a vitoria dos negros, agora no governo do maior e mais poderoso país do mundo, os Estados Unidos. A política do Quênia foi caracterizada, desde a independencia, em 1963 por um regime presidencialista altamente centralizado. Na realidade, a União Nacional Africana do Quenia foi o partido majoritário e, em 1982, a Assembléia Nacional emendou a Constituição, tornando o pais monopartidário. Os principais produtos agrícolas quenianos são o chá, café, milho, trigo, laranja, banana, abacaxi, abacate, girassol, soja, sisal, algodão, coco, cana de açucar, batata, tomate, cebola, arroz, feijão, mandioca e cajú. A pecuária tem como predominancia à cultura de bovinos, suinos e caprinos, além de perus, gansos, galinhas, patos e pavões. Este é um mercado aberto para o mundo e, em especial, para os Estados Unidos.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

RIBEIRA - 174

REPÚBLICA DO CONGO
A República do Congo era conhecida por longos como Zaire e por vezes designada Congo-Kinshasa para diferenciá-lo do vizinho Congo-Brazzavile. É um dos maiores países da África, tendo a capital como Kinshasa. A região era ocupada na antiguidade por bantos da África Oriental e povos do rio Nilo, que alí fundaram os reinos de Baluba e do Congo. Em 1878, o explorador Henry Stanley fundou entrepostos comerciais no rio Congo, o nono rio do mundo, sob a ordem do rei belga Leopoldo II. Na Conferencia de Berlim, em 1885, que divide a África entre as potências européias, Leopoldo II recebe o território como possessão pessoal. Em 1908, o Estado Livre do Congo deixa de ser propriedade da Coroa e torna-se colônia da Belgica, antigamente habitada por tribos célticas, no ano 50 a.C. E a colônia passa a se chamar Congo Belga. O movimento nacionalista tem inicio nos anos 50 sob a liderança de Patrice Lumumba, um líder anti-colonial e o Primeiro Ministro eleito do país. Em 30 de junho de 1960, o Congo conquista a independência e passa a ser chamado República do Congo. O Presidente da República era na época, Joseph Kasavubu. A maioria dos colonos europeus deixou aquele território buscando abrigo em seu próprio país de origém, a Belgica, e em outros paises da Europa, como Inglaterra e França. Em julho de 1960 eclode uma rebelião contra Lumumba. liderada por Moise Tshombe. Antes do final do ano, Kasavubu afasta Lumumba do cargo de Primeiro-Ministro num golpe de estado. Lumumba é sequestrado e assassinado em janeiro de 1961. Tropas de diversos países, incluindo o Brasil são enviadas pela ONU para restabelecer a órdem, o que ocorre em 1963, com a fuga de Tshombe. As tropas da ONU retiram-se em junho de 1964. Dias depois ocorre uma reviravolta: Tshombe regressa e assume a presidencia com o apoio da Bélgica e dos Estados Unidos. Em novembro de 1965, ele é derrubado num golpe por Mobutu Joseph Désiré.
O Congo é uma nação que possui uma vasta riqueza potencial que declinou drasticamente desde os meados da década de 1980. Os dois recentes conflitos. que se iniciaram em 1996, reduziram dramáticamente a produção nacional e as receitas do governo aumentaram a dívida externa e resultaram em talvez uns 3,8 milhões de vítimas, entre as vítimas direta, as causadas pela fome e as devidas a doenças. A cultura do Congo reflete a diversidade das suas centenas de grupo étnicos e suas diferentes formas de vida em todo o país. A região congolesa de Katanga possui alguns dos melhores depósitos mundiais de cobre e cobalto. Outras áreas do país possuem fontes ricas de minerais diversos, incluindo diamantes, ouro, ferro e urânio. Após anos de guerras, ditaduras e tumultos, porém, a infraestrutura do Congo ou está em ruínas ou é inexistente, e as operaçoes de extração estão produzindo apenas uma fração de seu potencial. Hoje, o que se vê, é o povo seguindo a pé por estradas distantes em busca de um alimento qualquer.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

RIBEIRA - 173

O TREM DA ÍNDIA
O transporte ferroviário na Índia é um modo de transporte a longa distância que consiste em operações ferroviárias manipuladas quase sempre por uma empresa estatal, a Indian Railways, sob controle do Ministério Federal da Ferrovia. A rede ferroviária cobre todo o comprimento e largura do país, abrangendo uma extenção total de 63.140 quilômetros. Diz-se a ser a segunda maior rede ferroviária do mundo, transporte de mais de 5 bilhões de passageiros e mais de 350 milhões de toneladas de carga anualmente. As suas operações abragem vinte e oito Estados e Territórios da União além de prestar serviços limitados ao Nepal, Bangladesh e Paquistão. As ferrovias foram introduzidas na Índia em 1853, e na época da Independencia da Índia em 1947 tinham crescido a quarenta e dois sistemas ferroviários. Em 1951 os sistemas foram nacionalizados como uma unidade - Indian Railways - para formar uma das maiores redes do mundo. Locomotivas fabricadas em diversos lugares da Índia recebem códigos que especificam as suas bitolas, tipo de potência e o tipo de operação. Semáforos coloridos são usados como sinais, mas em algumas zonas remotas de operação ainda são utilizados os sinais mecânicos mais primitivos. As classes de acomodações vao desde geral até primeira classe AC. Os trens são classificados de acordo com a velocidade e área de operação. Muitos trens são oficialmente identificados por um código de quatro dígitos, embora muitos são vulgarmente conhecidos por nomes exclusivos. O sistema de bilheteria foi informatizado em grande escala, e os bilhetes são encontrados tanto na categoria por reserva como não reservados.
A Índia possui uma das tarifas ferroviárias mais baixas do mundo, e o tráfego e passageiros é fortemente subsidiado pelo frete. Até o final dos anos de 1980, as reservas de bilhetes da Índian Railway eram feitas manualmente. Em finais de 1987, passoua ser utilizado um sistema de bilheteria computadorizado. Todo o sistema de bilheteria on-line passou, em 1995, a fornecer informações atualizadas sobre a situação e disponibilidade. Hoje, a rede de bilheteria é informatizada, em muitos lugares, com a exceção de alguns lugares mais remotos. Os bilhetes também podem ser reservado através da internet, e também de telefones móveis, embora para este serviço seja acrescido uma sobretaxa. Os bilhetes com desconto estão disponiveis para cidadãos idosos, acima de sessenta anos, e algumas outras categorias de passageiros, incluindo deficientes, estudantes, desportistas, as pessoas afectadas por doenças graves, ou de pessoas que aparecem em concursos. Um compartimento de classe mais baixa de acomodação e reservada para mulheres em todos os trens de passageiros.

domingo, 2 de novembro de 2008

RIBEIRA - 172

CLÁUDIA O'HANA

Aos 45 anos de idade, mãe e avó, Cláudia O'Hana quer mostrar o que a carioca tem. Diz ela que onde se passar a gilete, fica novo. Neste mes de novembro está nas bancas a Revista Playboy trazendo na capa a foto exuberante de Cláudia O'Hana, chamando para as páginas internas o leitor caprichoso que pode ir conferir o retrato da atriz de corpo nú. E para fazer isso, Cláudia preferiu tirar as fotos em uma região tranquila e quente do nordeste do Brasil, o Estado do Ceará. . O nome dela é Maria Cláudia Carneiro da Silva, nascida no Rio de Janeiro, a 6 de fevereiro de 1963. Cláudia é uma atriz de origem luso-brasileira sefardi, nome do alfabeto hebraico dado à região que corresponde ao chamado Al-Andalus, na Peninsula Ibérica. Filha de Nazareth Ohana com o pintor Artur José Carneiro. Sua mãe, que era montadora de cinema, faleceu em 1978. Cláudia tem uma irmã mais velha chamada Cristina e é meio-irmã do escritor João Emanuel Carneiro. Como atriz, Cláudia O'Hana iniciou sua carreira no cinema em 1979, em "Amor e Traição". Depois faria outros filmes conhecidos, como Menino do Rio, de 1982, Erendira, 1983, Ópera do Malandro, 1985, Luzia Homem, 1987, Kuarup, 1989 e Erotique, 1994.
Na TV, sua primeira aparição foi no seriado "Obrigado, Doutor", em 1981. Depois ela atuaria nas novelas Amor com Amor de Paga e Tieta, onde fez uma curta participação como Tieta moça. Atuou também nas novelas Fera Ferida, A Próxima Vítima, Zazá e As Filhas da Mãe. Porém, a novela mais marcante desua carreira foi Vamp, onde ela vivia a vampira roqueira Natasha, sua personagem de maior sucesso entre o público. Para a trilha dessa novela, ela mesma cantou "Sympathy for the devil" dos Rolling Stones. Ela afirmou que, na época de Vamp, mal podia sair de casa, devido ao assédio dos fãs, e que começou a gostar de trabalhar na TV, graças a essa novela.
No teatro,sua primeira peça foi Rock Horror Show, mas outra peça de destaque foi Carmen. Cláudia posou para a Playboy Brasil em 1985, vindo a aparecer de novo neste mês de novembro.Foi casada com o diretor Ruy Guerra, realizador de cinema de origem portuguesa, nascido em Moçambique. O casamento durou pouco tempo, entre os anos de 1981 e 1984. Dessa união teve uma filha chamada Dandara Guerra, nascida a 10 de outubro de 1983, e também, hoje, é atriz.. Cláudia é avó de Martim, nascido a 24 de maio de 2005. Em telenovelas. Claudia O'Hana apareceu em 14 produções. Pequena e sensual, de olhos grandes e marcantes, é uma das mais requisitadas atrizes brasileiras.

sábado, 1 de novembro de 2008

RIBEIRA - 171


ROMY SCHNEIDER

O seu nome artístico era Romy Schneider. Porém, seu verdadeiro nome era: Rosemarie Magdalena Albach-Retty, nascida em Viena, a 23 de setembro de 1938. Foi uma atriz austriaca que atuou no cinema europeu, especialmente no francês. Romy era filha dos atores Magda Schneider e Wolf Albach-Retty, e muito bonita desde pequena. Com uma pele rosada e olhos azuis, Romy chamava muita atenção, mas só estreou no cinema aos catorze anos, no filme "Quando voltam a florescer os lilases", ao lado da mãe, que controlou sua carreira até que ela se casasse pela primeira vez. Aos 17 anos, em 1955, Romy se transformaria na namorada do mundo ao viver Sisse, a imperatriz-adolescente da Áustria, no filme do mesmo nome. Ela chegou a fazer tres filmes sobre a mesma personagem; Sisse, a Imperatriz e Sisse e o seu Destino. Era uma personagem bonita, irreverente e capaz de quebrar todos os protocolos da nobreza européia na forma de amar o jovem imperador austríaco Francisco José e os seus súditos. O filme - Sisse - conquistou as platéias do mundo todo e gerou mais duas continuações, todos dirigidos por Ernst Marischka e interpretados por Romy, o ator Karlheinz Bohn e a mãe de Romy, Magda Schneider.

Já famosa mundialmente a atriz se recusou a continuar a viver jovens princesas inocentes e partiu para filmes mais adultos, escandalizando seus fãs em 1958 ao participar do filme "Senhoritas de Uniforme", que contava a história de lesbianismo em um colégio feminino.

No mesmo ano Romy filmou "Christine", e se apaixonou perdidamente pelo seu galã no filme, o então também jovem e promissor ator francês Alain Delon. O romance durou até 1963 e o casamento dos dois foi várias vezes anunciado e outras tantas adiado. Nessa época, ela se encontrou com o diretor Luchino Visconti que mudou radicalmente sua trajetória de atriz, dando-lhe um papel sexy e digno de uma grande atriz em "Bocaccio 70".

Seu primeiro casamento foi com o diretor e cenógrafo alemão Harry Meyen, pai de seu filho David. Ela se separou dele em 1975 e logo depois se casou com seu secretário pessoal, Daniel Biasini, com quem teve uma filha, Sarah. Outra separação, e quando morreu, ela vivia há pouco mais de um mês com o produtor francês Laurent Petain.

A atriz morreu aos 43 anos, vitimada por uma parada cardíca, em seu apartamento em Paris, onde vivia com o terceiro marido, a filha e uma empregada. Ela vinha se tratando de uma profunda depressão pelo suicidio do primeiro marido e, logo depois, pela trágica morte do filho de ambos, que ao pular um portão, foi perfurado pelas setas da grade, onde passava férias, e morreu na hora, com apenas 14 anos. Alguns dias antes de falecer, Romy se submeteu a uma operação para a retirada de um rim. Romy Schneider ganhou o César, maior prêmio do cinema francês, como melhor atriz do ano por duas vezes: a primeira em 1975, por O Importante é Amar dirigida pelo polonês Andrzej Zulawski, e a segunda por Uma História Simples, de 1978, dirigida por seu diretor favorito, Claude Sautet, com quem fez cinco filmes.

RIBEIRA - 170

LINDA BLAIR

Quem não viu O Exorcista, na verdade é uma grande pena. É um clássico do cinema no sobrenatural. Seu ano de produção foi 1973 e, depois, em 2003, foi posta uma nova versão com onze minutos de acrescimos de cenas que dá primeira vez foram suprimidas. No elenco do filme está Linda Blair que nasceu em Saint Louis, Missouri, no dia 22 de janeiro de 1959. Linda tem o nome completo: Linda Denise Blair. Antes de estrear em O Exorcista, sua grande performance aos 14 anos, Linda participou, aos 9 anos de idade de uma série da TV americana que foi um grande passo para o início do seu estrelato. Linda participou também de vários comerciais para tv, o que chamou a atenção dos executivos da Warner Brothers.
Em 1973, aos quatorze anos interpretou a menina de doze anos Regan McNeil. Na versão para o público, Regan é a filha da atriz Chris McNeil, interpretada por Ellen Burstyn. No filme, Regan é uma jovem possessa que é incitada pelo demônio a se masturbar com um crucifixo, falar palavrões, usar o idioma latim, movimentar objetos e móveis com a mente, provocar o padre Damien Karas e Merrin. Regan dobra a cara em 360 graus C., faz aparecer a mãe do padre Damien, que está morta e levita ante o olhar perpléxo de sua mãe e os dois padres. Um deles, Damien, se projeta para fora, caindo escada a baixo e morrendo na rua. Foi um verdadeiro turbilhão na vida de Linda Blair. Com este papel ela foi indicada para o Oscar na categoria de atriz coadjuvante e também para o Globo de Ouro, cuja estatueta Linda exibe em sua casa na cidade de Los Angeles. Logo depois de O Exorcista, ela fez vários outros filmes, trabalhando com atores e atrizes de muito talento. Para ela tudo isso estava sendo como uma escola, trabalhar com pessoas como Richard Burton era a realização de um sonho. Hoje, atua como atriz e produtora. Em 2007, Linda fez uma participação especial na segunda temporada da série Supernatural.
Desconhecida por ter apenas em O EXORCISTA o reconhecimento do público e da crítica, que não conseguiu mais vê-la em outra produção sem associá-la ao seu grande sucesso e que com o passar dos anos, teve uma carreira sepultada com filmes de péssima categoria. Aos 49 anos, o rosto de Linda ainda lembra o da garota Regan de O Exorcista e será desta forma que a atriz será sempre recordada.Linda era uma criança prodígio e já aos 12 anos somava mais de 75 aparições em comerciais de televisão e participação em uma série de tv, em 1968, além de dois filmes onde fazia personagens pequenos, em 1970 e 1971. O papel em O Exorcista veio em 1973, depois que Linda foi selecionada entre mais de 600 candidatos, O seu diretor, William Friedkin, foi aclamado como o melhor do ano com a estatueta do Globo de Ouro, valendo também para a melhor atriz Ellen Burstyn, Melho Ator coadjuvante para Jason Miller, Melhor Atriz Coadjuvante para Linda Blair, alem de melhor Edição, Melhor Fotografia e Melhor Direção de Arte. Segundo circulou na imprensa, na época, Linda Blair realmente estava cotada como favorita para ganhar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo seu desempenho em O Exorcista, porém,quando os membros do júri descobriram que em várias cenas do filme foi usada uma dublê, além de um boneco em tamanho real e que a atriz Mercedes McCambridge fez a voz da garota possuída, mudaram de idéia.