sexta-feira, 16 de outubro de 2009

RIBEIRA - 440

- RUA CHILE -
A Rua Chile, no antigo bairro da Ribeira, em Natal (Rn), possui, dentro da geografia natalense, nuances que às vezes passam desapercebidos pelos seus frequentadores. Pois longe de ser, apenas, o logradouro de um simples conjunto de casas e prédios antigos, ela é, antes de tudo, a concentração harmônica de muitas sensações. Diante do seu calçamento de paralelepípedos já muitos gastos e ainda marcados com a saudosa linha do bonde e do trem, pode-se conhecer um pouco mais da história potiguar. Foi alí, por exemplo, que o Rio Grande do Norte soube, oficialmente, da proclamação da República em 1889. "Homem público dando provas de altas qualidades políticas e muito prudente, de grande tolerância, mas firme e enérgico, ponderado e seguro", como afirmou o grande historiador brasileiro Rocha Pombo, o então governador Pedro Velho repercutiu a boa nova de uma das sacadas do Palácio do Governo. Em outra ocasião, o palácio serviu de guarida para o Conde D'Eau. De passagem pela cidade, o consorte da Princesa Isabel se hospedou na antiga sede do executivo estadual. Considerada por muito tempo como a edificação mais alta e imponente da cidade, anos mais tarde, o palácio da Rua Chile passaria a ser o endereço do Wander Bar, uma boate de elegantes prostitutas muito frequentada pelos oficiais americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Atualmente, no velho palácio/boate/sede do governo, funciona uma escola de dança.
Por causa da proximidade com o Porto Naval, o primeiro cais da cidade, a outrora Rua da Alfândega e do Comércio era uma das principais vias de Natal no início do século XIX. A partir de 1850, foram erguidos prédios de pedra e cal, na sua maioria lojas e armazéns, destinados ao recebimento de algodão, açúcar e peixe seco. Localizada dentro da Zona de Preservação Histórica da Cidade, mesmo assim, quem caminha pela Rua Chile percebe duas realidades. No início da rua, muitos dos antigos prédios estão sendo vencidos pelo tempo. As fachadas, antes coloridas, deram lugar ao limo e à falta de zelo. Felizmente, ao findar a travessia pela via, a Rua Chile se reinventa. Adiante, a pequena alameda vira cenários de acontecimentos culturais e muita efervescência. Novas cores, novos ares, novas perspectivas. O Largo da Rua Chile, como é conhecido o local, dá abrigo às casas noturnas, bares e ainda é palco de eventos e antigos endereço de um dos maiores festivais de música independente do pais, o MADA - Música, alimento da alma.
----
Veja também:

Um comentário:

Manoel de Oliveira Cavalcanti Neto disse...

Rua Chile!
Como foi importante no passado da cidade. É muito importante o que voc~e esta resgatando de nossa ciade. Parabéns Alderico.