sexta-feira, 1 de agosto de 2008

RIBEIRA - 42

Charutos de boa marca

A avenida Duque de Caxias, no bairro da Ribeira, em Natal (Rn) era, na época de 50 (ano de 1950 e mais para trás) uma das que maiores movimentos fazia, pois as importantes casas de comércio e repartições estavam ali. Repartições como a Caixa Econômica Federal, dona de um grande movimento de gente fazendo o penhor de suas jóias, ou retirando dinheiro e mesmo fazendo depósitos em suas contas-correntes e até mesmo comprando os bilhetes da Loteria Federal. A rua era um verdadeiro escoadouro de pessoas ou procurando emprego ou mesmo fazendo mandados. Havia na avenida uma casa que era especializada no comércio da venda de charuto. A casa ficava em um edificio de dois andares e ela ficava no andar térreo. Uma espécie de uma enorme garagem com um balcão a cerca de dois ou tres metros na vertical depois da entrada e dali, rodeada de imensas estantes que abrigavam caixas e pacotes enormes de charutos. Seu dono era o velho Maux e o seu filho, Paulo, faziam a vez de despachar quem procurasse ali charuto Swerdick ou mesmo de outra marca para comprar.

A casa, se tinha nome, eu não sabia. O que eu sabia de verdade era que ali se vendia charutos. E, vez por outra eu entrava na loja onde era recebido por Paulo Maux, um jovem ainda talvez dos seus 25 anos de idade. Ele, sempre atencioso - como toda gente que despachava - com certeza por intuição, já bem que sabia o que eu estava a procurar: um bom e insuperável charuto swerdick, anel de ouro, marca registrada de um bom fumante, como assim era o meu tio. Sempre solícito, com um amplo sorriso na face, gordo por demais, Paulo já trazia nas mãos uma caixa de seus 20 centímetros de comprimento por outros 15 de largura com uma tranca parecendo de ouro fechando a caixa que era envelopada por um papel salofane, muito liso e transparente, deixando à mostra toda a caixa feita em madeira de puro cedro para conservar o melhor gosto do seu charuto. Costumeiramente eu sempre estava alí, na Loja do Senhor Maux para adquirir uma caixa dos exuberantes charutos feitos no Rio de Janeiro que emanavam um perfumoso aroma impregnando todo o ambiente.

Quem fuma um bom charuto sempre procura ter em seu bolso um delicioso tabaco de qualidade para logo após um bom café. Nos anos 50, a moça deleitava-se com o seu namorado ao vê-lo com o seu charuto a soltar as gostosas fumaças em seu derredor.Para um bom fumante, o charuto faz a vez com uma bebida ou um café. Eles não brigam até porque já estão íntimos e a amizade vai durar por toda uma vida. Os charutos cubanos são os mais procurados e, por isso mesmo, os mais caros do mundo. No entanto, tem o Brasil, República Dominicana, Panamá e Costa Rica um vetusto arsenal de tabaco oriundos para todos os gostos e tipos. Em Cuba, se tem o melhor charuto ou cigarrilha onde rende ao País a terceira maior renda de mercado, ficando atrás de cana-de-açúcar e do café. Na ilha, já em tempos mais remotos, as próprias mulheres eram exímias fumantes, iguais com os homens.
Há, hoje em dia, publicações sobre a origem do charuto e estes informes adiantam que o tabaco surgiu no México, há dois mil anos . Tempos depois, os Maias descobriram a folha e disseminaram por toda a região. Na Europa, o tabaco só veio a ser conhecido após a viagem de Cristóvão Colombo. Porém, em nada de literatura meu tio estaria preocupado. Na verdade, ele queria apenas degustar um excelente charuto brasileiro. Nas minhas andanças pela a Avenida Duque de Caxias, ao passar na Casa de Maux, do lado esquerdo de quem vem das Rocas, nesse prédio de dois andares, onde havia outras lojas de coisas diversas até a Rua 15 de Novembro, eu tinha a minha atenção voltada para o que estava guardado num salão imenso cheio de charutos ou cigarrilhas, como também eram chamados os tabacos. Paulo Maux , certa vez, foi eleito Rei Momo do Carnaval de Natal e assim ficou por muitos outros carnavais, sendo considerado o Rei Momo Eterno do Carnavais que eram feitos em Natal.


Um comentário:

Eri disse...

Ola estudo medicina em Cuba e no momento estou de férias aqui em Natal, todos os anos quando venho de ferias procuro trazer algumas caixas de charuto para vender, aqui em Natal todos os anos vendo a um Dep e a uma ex Senador, caso vc tenha interesse ainda tenho Cohiba Robusto, Cohiba Siglo VI e Cohiba Esplendido, todas em caixa de cedro com 25 unidades. Caso tenha interesse meu e-mail é erycavalcanti@hotmail.com .
Um abc e aguardo teu contato!!!